RAFAEL SPACA VAI LANÇAR PELA ESTRONHO SEGUNDO LIVRO SOBRE OS TRAPALHÕES

30/01/2017 22:40
HISTÓRIAS EM QUADRINHOS: RAFAEL SPACA VAI LANÇAR PELA ESTRONHO SEGUNDO LIVRO SOBRE OS TRAPALHÕES
 
POR : SAULO ADAMI
 
No primeiro semestre de 2017, a Editora Estronho vai lançar o segundo livro de Rafael Spaca sobre o quarteto de humoristas Os Trapalhões. “As HQs dos Trapalhões” é o sétimo livro da carreira de Spaca, que escreveu ainda “Curtametragem, compilação de ideias e entrevistas do blog Os Curtos Filmes” e “Conversações com R. F. Lucchetti” (Editora Verve); “Vanessa Alves, coletânea de imagens e palavras”, “O Cinema dos Trapalhões, por quem fez e por quem viu”, além dos infantis “O Pum do Bumbum” e “A Bruxa do Chocolate” (Editora Laços). Nesta entrevista exclusiva ao EM FOCO, Rafael Spaca fala sobre a experiência de transformar ideias em livros e sobre o processo de produção das obras que reconstituem a história de “Os Trapalhões”.
 
Quando começou seu interesse pelo tema “Os Trapalhões”? Você acompanhava o programa pela TV?
Sempre gostei dos Trapalhões. Lia os gibis, assistia aos programas, ia ao cinema ver os filmes. Tive, inclusive, aquela famosa botinha dos Trapalhões. Quando a TV Globo começou a reexibir os programas, no final da década de 90, saia da escola rapidinho para não perder um episódio. Resumindo: eles foram os meus heróis na infância. Faz um tempo que a ausência de uma bibliografia de referência a respeito dos Trapalhões começou a me incomodar, foi aí então que decidi fazer essas pesquisas.
 
Você é o autor de um outro livro sobre o quarteto “Os Trapalhões”. Qual o conteúdo daquele livro?
Lancei no ano passado, pela Editora Laços, o livro “O Cinema dos Trapalhões, por quem fez e por quem viu”. O livro é um conjunto de mais de 130 entrevistas com técnicos e artistas que trabalharam com o quarteto mais querido do Brasil. O prefácio é escrito pelo jornalista Marcelo Fontana, a apresentação do livro é escrita pelo ator e diretor Cássio Scapim e a quarta capa é escrita pelo produtor cinematográfico Dênis Feijão. Artistas como Alcione Mazzeo, Ana Maria Magalhães, Bia Seidl, Bruna Lombardi, Carla Daniel, Carlos Koppa, Cristina Prochaska, Denise Dummont, Fábio Villa Verde, Fafy Siqueira, Gisele Fraga, Ivo Setta, João Bourbonnais, Lucinha Lins, Mário Cardoso, Monique Lafond, Nádia Lippi, Paulo Reis, Roberto Guilherme, Ronnie Von, Sylvia Massari, Tânia Alves, Tony Tornado e Vanusa concedem históricas entrevistas para falarem de seus personagens e percepções a respeito do cinema dos Trapalhões neste livro. Os cineastas Del Rangel, José Alvarenga Jr., Roberto Farias, Silvio Tendler e Vitor Lustosa contam como foi dirigir os Trapalhões, assim como os roteiristas Braz Chediak, Doc Comparato e Mauro Wilson falam como era escrever para o cinema produzido por eles. Os músicos Afonso Nigro (ex-Dominó), Alex Gill (ex-Polegar) e Lenine, se juntam a fenômenos pop como Juninho Bill e Amanda Acosta (ambos ex-Trem da Alegria) e Andreia Faria (ex-Paquita) e contam a respeito de sua trajetória nos filmes dos Trapalhões. A esse time se juntam dezenas de técnicos e outros profissionais da sétima arte como técnicos de som, estagiários, diretores de fotografia, cenógrafos, continuístas, produtores, figurinistas, cartazista, produtor executivo, compositores, músicos, dublês, produtora de elenco, montadora, assistentes de produção, quadrinista, assistente de câmera, diretor de arte, fãs, jornalistas, críticos de cinema no maior levantamento histórico e reflexivo a respeito do cinema dos Trapalhões.
 
Escrever um livro como o primeiro que você fez sobre “Os Trapalhões” demanda pesquisa e dedicação? Como foi este trabalho, para você? Entrevistar estas pessoas, preparar os capítulos…? Quanto tempo levou desde a ideia até a publicação da obra? O livro “O Cinema dos Trapalhões, por quem fez e por quem viu” demandou quatro anos de pesquisa. Esse, o das HQs dos Trapalhões, foi mais rápido, um ano e meio. Ao mergulhar numa pesquisa, só consigo descansar quando vejo o livro lançado. Porque o tempo todo você pensa na construção do livro, na colocação de uma frase, na narrativa, na dinâmica, etc. É um trabalho de fôlego, eu gosto.
 
De onde veio a ideia para escrever um livro sobre “Os Trapalhões” nas histórias em quadrinhos? Você também era fã dos quadrinhos do quarteto?
Esse livro é um desdobramento da minha pesquisa anterior. Depois do cinema, quis abordar outra plataforma de comunicação que o grupo transitou: as histórias em quadrinhos. Ainda há muito o pesquisar a respeito dos Trapalhões. O enfoque é nas pessoas que ajudaram a construir essa história. Entrevistei roteiristas, letristas, desenhistas, coloristas, revisores, etc. Cada profissional deu um depoimento, falando das suas influências, contando causos destes trabalhos nas HQs dos Trapalhões. É uma homenagem não só ao grupo, mas a todos estes profissionais que normalmente ficam invisíveis aos olhos da massa.
 
Por que você escolheu (ou foi escolhido pela) a Estronho para editar esta obra? Você já conhecia suas publicações anteriores?
A Estronho é conhecida pela sua excelência. Seu catálogo é incrível, a curadoria de títulos do Marcelo Amado é de um apuro notável. Sinto-me honrado em fazer parte do time de autores da Estronho.
 
Você tem planos para escrever outros livros sobre “Os Trapalhões”?
Sim, pelo menos mais dois. Só não posso adiantar os temas.
 
Que outro(s) livro(s) você tem publicado(s) como autor?
Este é o meu sétimo livro. É de minha autoria também os livros Curtametragem, compilação de ideias e entrevistas do blog Os Curtos Filmes (Editora Verve); Conversações com R.F.Lucchetti (Editora Verve); Vanessa Alves, coletânea de imagens e palavras (Editora Laços); O Cinema dos Trapalhões, por quem fez e por quem viu (Editora Laços) e;, além dos infantis O Pum do Bumbum e A Bruxa do Chocolate (ambos pela Editora Laços).
 
 
 
 
Rafael Spaca e sua filha Manoela
 
Silvia Salgado
 
 
Nadia Lippi,Rafael Spaca, Simone Spoladore, Dedé e Carlos Loffle
 
 
Nádia Lippi
 
 
Rafael Spaca, Izabella Bicalho e Dedé Santana no lançamento do primeiro livro sobre “Os Trapalhões”, no ano passado. Fotografia do acervo de Rafael Spaca
 
 
Rafael Spaca,Gentili e Dedé
 
 
“As HQs dos Trapalhões” (Editora Estronho, 2017) é resultado de um ano e meio de trabalho do autor Rafael Bicalho. Fotografia divulgação da Editora Estronho
 
 
www.google.com.br

Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!